sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Se as consultas demorassem apenas 15 minutos, não haveria falta de médicos de família!...


Tribunal de Contas recomenda ao Ministério da Saúde que liberte médicos dos centros de saúde de tarefas administrativas.E critica exclusão de utentes das listas de médicos de família “por razões administrativas”.
O Tribunal de Contas (TC) encontrou uma hipotética solução para a falta de médicos de família, problema que os sucessivos ministros da Saúde têm tentado resolver ao longos dos anos, sempre sem sucesso. Considerando que o tempo médio de uma consulta dos médicos dos centros de saúde era, há dois anos, de 21 minutos, uma equipa de auditores do TC fez contas e concluiu que, caso se assuma como “razoável” o tempo de 15 minutos para o atendimento, seria possível fazer mais 10,7 milhões de consultas.
PÚBLICO

***«»***
No tempo dos postos de saúde das Caixas de Previdência, de Salazar e Caetano, não havia falta de médicos. As consultas apenas demoravam dois minutos!…
Embora seja importante libertar os médicos dos centros de saúde das tarefas administrativas, o que é certo é que, com esta habilidade de cariz cronométrico, o Tribunal de Contas está a contornar o problema principal: a evidente falta de médicos de família, que a atual política do Ministério da Saúde deliberadamente promove, e que está a comprometer a funcionalidade do Serviço Nacional de Saúde.

Sem comentários: