quarta-feira, 15 de março de 2017

Teoria da Demanda de Keynes e Portugal e o seu labirinto…



Teoria da Demanda de Keynes e Portugal e o seu labirinto…

Os dirigentes políticos portugueses, antes de terem assinado a adesão à moeda única, o acordo com a troika e o Tratado Orçamental, deveriam ter aprendido esta lição de Economia, sobre a Teoria Geral da Demanda, de Keynes. Portugal não estaria hoje no grande buraco em que se encontra, se esses dirigentes não estivessem deslumbrados com a cavalgada neoliberal, a variante mais agressiva do capitalismo moderno - em que a liderança passou a estar nas mãos do capital financeiro – e que se caracteriza por aprofundar a transferência da riqueza dos países menos ricos para os países mais ricos, e, dentro de cada país, transferir os rendimentos do trabalho para os rendimentos do capital.

Devido à subserviência desses políticos, em relação a Bruxelas e a Berlim, Portugal passou à categoria de país semi-independente, e, se nada for feito em sentido contrário ou se a União Europeia conseguir resistir aos terramotos políticos, económicos e sociais, que se avizinham, daqui por uns anos, Portugal será uma colónia da Europa.

Há anos que eu e muitos outros andamos a dizer isto. E o que está a acontecer, hoje, na Europa, parece que nos está a dar razão. O ressurgimento da onda populista da extrema-direita deve-se essencialmente às contradições da construção europeia, que foi desenhada para fortalecer as economias da Alemanha e da França. O resto são histórias da carochinha, para embalar crianças.
Alexandre de Castro
2017 03 15