terça-feira, 3 de novembro de 2015

Milagres!...

Imagem importada do blogue Ponte Europa

Os milagres operam-se por hipnose ou por ilusionismo... A crendice popular faz o resto...
A ideia subjacente ao conceito de milagre, e que inspira quem os inventa e, metodicamente, os organiza, vai ao encontro da ambição de cada ser humano pretender vir a adquirir uma capacidade  restauradora e renovadora da sua confiança no futuro, que as difíceis condições da existência ameaçam constantemente. O desejo que aconteça um milagre, que inverta o sentido de uma realidade adversa, nasce do sentimento de impotência do Homem, perante a Natureza e perante a Vida, quando não a sabe interpretar, compreender e explicar. Fica assim aberto o caminho para os operadores e técnicos dos milagres, que os transformam em investimento imaterial e com proveitos imateriais e materiais.
AC

3 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Os milagres
são normalmente esperados
por gente sentada ou ajoelhada
que, embora já não acredite em nada
espera que a vida se resolva

é uma porra!

Alexandre de Castro disse...

O Rogério lembra-se daquele célebre milagre, em 1917, em que o Sol começou a rodopiar, parecendo uma serpentina luminosa? Pois é esse milagre que anda atravancado na minha cabeça, o que até já me levou a pensar se o Galileu não se tinha enganado nas suas observações científicas e nos seus cálculos.

Alexandre de Castro disse...

Correcção: "não se teria enganado", em vez de "se tinha enganado".