sábado, 21 de novembro de 2015

A roubalheira continua _ Estado fica como fiador das dívidas da TAP aos bancos portugueses

Naquele tempo era assim:
Eles pareciam almirantes e elas modelos de passerelle

A roubalheira continua _ Estado fica como fiador das dívidas da TAP aos bancos portugueses

Eu nem queria acreditar no que estava a ler (ver notícia aqui). Belisquei-me, para me certificar que estava acordado, e tive de ler três vezes a notícia, para ter a certeza de que não estava com Alzheimer.
O Estado, para obter receitas para ir pagando a dívida à troika (assim o exige o memorando de entendimento de 2011), vende a joia da coroa, a TAP, a um consórcio internacional, que leva também as dívidas da companhia aos bancos portugueses. Mas os banqueiros portugueses, por um sentido patriótico, NÃO PERMITEM O NEGÓCIO (onde é que já chegámos, com os bancos a mandarem no Estado!), e exigem do Estado garantias, como se o Estado, depois da venda, continuasse a ser o devedor. E o governo da nossa desgraça dobra os joelhos aos banqueiros, garantindo-lhes que, no futuro, no caso do consórcio comprador falhar com os compromissos de pagamento da dívida da TAP (o que será o mais certo), será o Estado a suprir essa falha, comprando acções da TAP, com o nosso dinheiro, para, também com sentido patriótico, as converter em meios de pagamento, a favor dos banqueiros portugueses, que, como se vê, são os verdadeiros donos disto tudo.
Eu nunca vi um negócio assim!... É mais uma originalidade à portuguesa. E os portugueses vão aceitar estes negócios escuros e opacos, que delapidam o erário público?
ACORDAI, OH GENTE!... ACORDAI PARA A REALIDADE!... ESTE GOVERNO, ALÉM DE NOS ROUBAR INDECENTEMENTE, AINDA QUER FAZER DE NÓS ESTÚPIDOS!...
E ainda falta saber quanto dinheiro, em luvas e comissões, circulou por baixo da mesa.

1 comentário:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Tem calma!
A canalha está de abalada
e nada está irremediavelmente perdido

É só o que eu te digo!