domingo, 22 de Julho de 2012

A verdadeira origem do povo Português

Sugestão da Lara Raquel Caldeira Ferraz, que
o publicou na sua página do Facebook.
***#***
Está tudo explicado!... A culpa não é da troika nem é do euro. A culpa é do A25-BIS-DR2 e do A26-B38-DR13, dois genes que marcam a especificidade do mapa genético dos portugueses. Com uma caldeirada genética deste tipo, ninguém se entende. Por isso, a partir deste momento, deixo de fazer análise política. Já não é necessário... Aqueles dois genes atrapalham tudo.

2 comentários:

olimpio pinto disse...

O Tema, é mais do que interessantíssimo - é importantíssimo!
O vídeo, é tão redutor... que até espanta! - É o que acontece quando "a comunicação social", submetida à "necessidade" momentânea (?)/publicitária do conveniente político/social,se "ademana" com pretextos de "fundamentos" científicos!
Aprecio a tua "desistência" das "cuestões" políticas.

Abraço.

João Mota disse...

A comunicação social perpetua o mito de que os genes são o Santo Graal do comportamento: "diz-me os teus genes e digo-te o que estás a pensar!" Ora, os genes são activados pelo ambiente exterior. O que antigamente se pensava que era "lixo genético" afinal é activado na presença de estímulos exteriores. Este fenómeno é estudado pela epigenética. Por exemplo, as pessoas que têm o gene "da violência," quando criadas num ambiente normal são das mais pacíficas na sociedade; porém, se crescerem num violento, tornam-se nos criminosos mais perigosos. O mesmo fenómeno verifica-se em muitas doenças hereditárias. Outro exemplo: http://en.wikipedia.org/wiki/Dutch_famine_of_1944 As crianças que nasceram durante o período de fome na Holanda (1944) activaram genes que permitem maior eficiência na absorção da comida. Mais tarde, e perante uma alimentação normal, houve uma grande prevalência de problemas de obesidade e hipertensão.