sábado, 12 de novembro de 2016

Carta a uma amiga sobre a semelhança entre Donald Trump e Hitler


Carta a uma amiga sobre a semelhança entre Donald Trump e Hitler

Amiga Lara:

No meu texto, que lhe enviei, e que anteontem publiquei no blogue Alpendre da
Lua, eu dizia que Trump me recordava Hitler.

Hitler ganhou o poder, porque, discretamente, foi apoiado fortemente, no ponto de vista político e financeiro, pelos grandes industriais alemães, que viviam em pânico, perante o avanço do movimento comunista. Cada vez mais, intelectuais, operários e franjas das classes médias começaram a aderir ao marxismo. Por outro lado, as eleições “livres”, burguesas, antes, devidamente condicionadas pelo pensamento dominante, inspirado pelo grande capital, começaram a abrir brechas e a não corresponder aos interesses das classes dominantes. Era necessário uma ditadura e um demagogo, que a dirigisse, e que soubesse, para encobrir o que de odioso todas as ditaduras têm, encontrar um inimigo, que o povo, intimamente, também odiasse. Esse povo, foi o povo judeu. E à boleia da perseguição aos judeus, meteram-se no mesmo saco os comunistas.

Donald Trump poderá muito bem ser uma emanação política dos mais secretos e sujos interesses das multinacionais americanas e do poderosíssimo clã sionista-judaico, que impera na banca e move todos os cordelinhos na política.
Aliás, Israel vive à custa dos movimentos desses cordelinhos.

Falta falar da guerra. Há duas semanas, a tensão entre os EUA e a Rússia esteve ao rubro, o que levou Putin a ter de exibir um sofisticado míssil balístico, capaz de atingir o coração da América, respondendo assim à construção de bases de lançamento de mísseis, pela NATO, na sua fronteira ocidental. A guerra da Síria, país que os EUA precisam de neutralizar, para dominar o Médio Oriente, está a ser o ensaio geral de uma guerra total. E Trump é suficientemente louco, tal como Hitler, para a desencadear.

2 comentários:

Ana disse...

Um autêntico louco sim...anda tudo louco. Vamos aguardar os episódios que se seguem....já está a ver-se grandes manifestações...o inicio do Caos...Os interesses monetários a sobreporem-se aos direitos humanos...

Alexandre de Castro disse...

Amiga Lara:
Amiga Lara
Olhando para a História, eu não vejo estabelecida essa correlação, entre o declínio de um império e a loucura de um imperador. Julgo que o autor citado [De Vilepin] está muito centrado no caso de Hitler e de Mussoline, ambos paranóicos. Por outro lado, o declínio de qualquer império tem de se encontrar nas inevitáveis contradições que a sua formação e desenvolvimento engendraram. Ao atingir o cume do seu desenvolvimento, o império, acomodado num poder imenso, começa, progressivamente, a não ter resposta para as realidades (políticas, económicas e sociais), que ele próprio criou. É esse o processo dialéctico que, em cada caso, deve ser estudado e compreendido.