terça-feira, 12 de julho de 2016

Na Europa continua a ser proibido levantar a cabeça. É obrigatório rastejar…


Na Europa continua a ser proibido levantar a cabeça. É obrigatório rastejar…

Enquanto, em Lisboa, em colorida festa, se aclamavam os novos campeões do futebol, em Bruxelas, a festa era outra, muito diferente. Portugal iria ser castigado por ter elegido um governo desalinhado com o pensamento dominante, ditado pelos donos da Europa, assim como a Espanha, que tem de se deixar dessas veleidades de apoiar partidos e movimentos, considerados radicais.

Tivesse Portugal, como primeiro-ministro, Passos Coelho, e a Espanha já estivesse a ser governada por Mariano Rajoy, e a festa seria outra.

Os gregos também estão a pagar bem caro a sua ousadia e atrevimento, de quererem fazer descarrilar o comboio europeu, o que tirou o sono à Hitler de saias e ao boneco do Eliseu, que, no silêncio dos gabinetes, deram ordens às marionetas de Bruxelas para aplicarem severos castigos aos indisciplinados.
Na Europa continua a ser proibido levantar a cabeça. É obrigatório rastejar.
Alexandre de Castro
12 JUL 2016

4 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

"Tivesse Portugal, como primeiro-ministro, Passos Coelho"
chiça
só de o pensar a pele se me eriça

O Puma disse...

Nesta Europa

os fazedores de terroristas
andam à solta

Alexandre de Castro disse...

Rogério G. V. Pereira: Não sei, não. Não sei o que irá acontecer-nos. As voltas que o mundo dá e, apesar da esperança, acordam todos os fantasmas.

Alexandre de Castro disse...

Puma: Na verdade, o pior terrorismo é aquele que, no silêncio dos gabinetes e nos sigilosos conclaves, é desenhado do lado de cá.