quarta-feira, 16 de maio de 2018

O regresso dos Bárbaros...

Jogador do Sporting Clube de Portugal ferido no ataque de adeptos, em Alcochete


O regresso dos Bárbaros


Na última terça-feira, uma horda de criminosos, a mando de alguém, irrompeu pelo Centro de Treinos do Sporting Clube de Portugal, em Alcochete, e atacou com uma violência inaudita os jogadores e o treinador daquele clube.

Passado algum tempo, o presidente Bruno de Carvalho chegou às instalações, e, interrogado pelos jornalistas, respondeu, com um grande desplante e com uma frieza arrepiante, e cito de memória, “que era chato a agressão aos jogadores, mas que tínhamos de nos habituar a estes crimes”.

Confesso que fiquei siderado com tanta frieza e com tanta  irresponsabilidade.

Eu julgo que o "homem" (Bruno de Carvalho) alimenta ambições, que vão para além do Sporting e do futebol. Procura passar a ideia subliminar de que é um dirigente duro e que até conseguiria endireitar um país, ou até o mundo, se tivesse um mandato para tal. Profere discursos incendiários, a fim de gerar apoios, entre os mais ignorantes, o que é uma técnica tipicamente fascista.

Mas o que é certo, é que ele está a destruir um clube centenário, que é uma referência nacional, mesmo para os que não gostam da bola, o que é o meu caso.

Soube ontem, através de um amigo, que o pequeno "Hitler Verde" fez parte, enquanto jovem, das hordas ruidosas e, pelos vistos, extremamente perigosas, da Juv Leo, onde, possivelmente, teria selado amizades duradouras, que, agora, parecem ser muitos úteis, para a sua estratégia desestabilizadora e conflituosa.

Hitler, enquanto jovem, foi um pintor falhado e, durante a Primeira Guerra Mundial, serviu, como cabo, o exército austríaco. Ninguém podia adivinhar que, daquela insignificante personagem, de média estatura, iria nascer um monstro...

Alexandre de Castro
2018 05 16