quinta-feira, 12 de maio de 2016

Brasil, meu Brasil brasileiro, onde a aguarela ficou manchada pela ignomínia...

A presidente Dilma Rousseff

Na realidade, foi um golpe, inspirado do exterior e levado a cabo por políticos que estão indiciados e a ser investigados por crimes de corrupção. Tratou-se de um execrável assassinato político, perpetrado por uma classe política indigente, repugnante e sem mérito, que se serve do Estado para fins pessoais. Acima de tudo, tratou-se de um assassinato de carácter da cidadã Dilma Rousseff, que não cometeu qualquer crime (apenas cometeu prováveis erros políticos, admitiu ela, no seu último discurso como Presidente da República) e que vai carregar durante toda a vida o labéu de uma acusação falsa, imprópria, covarde e perversa. Aos trogloditas da Câmara de Deputados e do Senado, que aprovaram a sua destituição, ela, embora ferida no seu íntimo, respondeu com um discurso marcado pela dignidade, pela sobriedade e pela elevação. Mas foi também um discurso de combate, pela luta do seu bom nome e contra a injustiça de que foi vítima.
***«»***

AQUARELA DO BRASIL (letra e vídeo) com GAL COSTA,
vídeo MOACIR SILVEIRA

3 comentários:

Maria Eu disse...

Quando o presidente empossado, em investigação no caso Lavajato, indigita oito ministros igualmente investigados, está tudo dito. Depõe-se uma presidente que não está acusada de nenhum crime para a substituir por putativos criminosos!

Alexandre de Castro disse...

Transcrição de um comentário de Maria Eu, que o sistema impede de publicar directamente:

Maria Eu: Quando o presidente empossado, em investigação no caso Lavajato, indigita oito ministros igualmente investigados, está tudo dito. Depõe-se uma presidente que não está acusada de nenhum crime para a substituir por putativos criminosos!

Alexandre de Castro disse...

Tem toda a razão, Maria Eu. Retive também esse espantoso e inacreditável aspecto, ao qual a imprensa portuguesa não deu relevo. Vi a notícia apenas num jornal.
Esses ministros indigitados por crimes de corrupção passam a beneficiar do estatuto do "foro protegido" (impunidade), e os processos judiciais ficam suspensos.