segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Jerónimo critica PS por querer "sol na eira e chuva no nabal" em relação a ´troika´


O secretário-geral do PCP foi hoje acolhido por uma Cuba unida em torno da Coligação Democrática Unitária (CDU) e voltou a condenar o PS por querer "sol na eira" do Parlamento e "chuva no nabal" das autarquias.
O secretário-geral do PCP foi hoje acolhido por uma Cuba unida em torno da Coligação Democrática Unitária (CDU) e voltou a condenar o PS por querer "sol na eira" do Parlamento e "chuva no nabal" das autarquias.
"Como é que eles, lá na Assembleia da República, com a ´troika', assinam uma coisa e depois vêm para as autarquias dizer que defendem os interesses de quem trabalha ?"

***«»***
O Partido Socialista continua a não querer demarcar-se do memorando da troika, que assinou, e que é o fator estruturante de toda a política de austeridade, imposta pela Alemanha aos países periféricos, através da União Europeia. Pedir a aplicação de políticas de crescimento e o fim da austeridade, sem exigir a renegociação da dívida e o alargamento dos prazos das suas maturidades, é o mesmo que pedir a um pescador, a quem roubaram a cana, que continue a pescar. O ciclo vicioso provocado pelo roubo das pensões, pelos cortes nos salários e pela descaracterização dos pilares do Estado Social, ao repercutir-se gravemente na diminuição do consumo interno e na consequente falência das pequenas e médias empresas não favorece o crescimento económico nem o crescimento do emprego, tal como a realidade dos últimos dois anos de austeridade inequivocamente demonstrou.
As próximas eleições do dia 29 de Setembro, além de servirem para escolher os autarcas para o exercício do Poder Local, devem constituir uma oportunidade para mostrar um cartão vermelho ao atual governo e aos partidos da troika

Sem comentários: