quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Opinião: O Tirano - por Santana Castilho


Nenhuma circunstância permite a um político maltratar pessoas. Mas Nuno Crato ofendeu a dignidade profissional de milhares de professores. Fez sofrer inutilmente as suas famílias. Ultrajou o trabalho dos que preparavam o ano lectivo. Tratou grosseiramente o interesse da escola pública, dos pais e das crianças. As duas últimas semanas foram devastadoras e trouxeram-nos uma prática governativa mais perversa e iníqua que a pior do pior tempo de Maria de Lurdes Rodrigues. A seriedade intelectual de Nuno Crato em matéria de Educação implodiu definitivamente".
Santana Castilho, professor do Ensino Superior
PÚBLICO (01 Ago, 2012)

3 comentários:

Maria José Meireles disse...

O único aluno a quem tive vontade de pôr orelhas de burro foi um aluno a quem também chamei génio.
NC não merece orelhas de burro... mas precisa de muita poesia... urgentemente!...

Alexandre de Castro disse...

A lógica prevalecente da direita, e da ideologia que a inspira, assenta no princípio de reduzir ao mínimo as funções do Estado, que apenas deveria ocupa-ser das questões de soberania, segurança, Forças Armadas, política externa e de uma mitigada coordenação económica. Tudo o resto passaria para o domínio privado, subordinado às sacrossantas leis do mercado. As funções sociais do Estado (Saúde, Educação e Seguranla Social) seriam, desta forma despudorada, mercantilizadas, não permitindo a igualdade de acesso a todos os cidadãos, ao mesmo tempo que iriam agravar o fosso entre os mais ricos e os mais pobres. Por sua vez, a econoimia deixava de estar ao serviço do bem comum e passaria a beneficiar as elites. E é este tipo de modelo social e económico que eu rejeito e que Nuno Crato defende e promove nas suas funções de ministro. E ele já não vai lá com um puxão de orelhas nem com a poesia toda. Para desgraça do País, ele é um caso perdido.

Maria José Meireles disse...

E as pessoas são tratadas como objectos (números)...
Ninguém é um número (nem mesmo Nuno Crato).
Ninguém é um caso perdido e a poesia faz muitos milagres... garanto!...