quinta-feira, 30 de março de 2017

É este o fulgor do instante…


É este o fulgor do instante…

Há rostos que se escondem no silêncio e na ausência
e eu apenas os posso ver através da minha cegueira.
É este o fulgor do instante,
quando o instante se revela em toda a sua plenitude.
É de ti, que há-de vir o último sopro de vida
que me liberte da escuridão dos dias…

Alexandre de Castro
 Lisboa, Março de 2017

Ver também aqui.

Sem comentários: