quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Terrorista Matando Policial em Paris atentado ao Charlie Hebdo


A barbárie renasce no coração da Europa, agora, fanaticamente, em nome de um Profeta, que os seus seguidores não querem ver satirizado pelos infiéis. A nossa liberdade, da qual não podemos abdicar, custou doze vidas, vidas que aqui homenageamos. É um preço demasiadamente elevado, pelo que se exige de cada um de nós uma maior responsabilidade e empenho na luta por essa liberdade, onde ela está ameaçada nos seus fundamentos e onde ela ainda não existe. Perante o terror, não devemos mostrar medo, fazendo o jogo do inimigo, o que nos obriga a exibir sempre, com verdade, o nosso livre pensamento, sem as amarras dos pensamentos únicos das religiões e as das novas ideologias das castas dominantes.
AC

3 comentários:

Mar Arável disse...

Roubem-me tudo menos a liberdade

Mar Arável disse...

Roubem-me tudo menos a liberdade

Alexandre de Castro disse...

Lutarei pela liberdade, tal como luto pela minha vida. E que nenhum deus se atreva a atravessar-se no meu caminho...