terça-feira, 25 de junho de 2013

Poema: Um minuto - por Sónia M.

A "poeta" Sónia M.

Um minuto

Parecia ser tão pouco,
um grão de areia no deserto
- um minuto, só um minuto!
era tudo o que me pedias.
Apenas isso te bastou,
um breve e fugaz instante,
para atravessares tudo o que sou
e levares de mim todas as vidas.

Os teus olhos cegaram-me,
vi-me neles, inteira e nua.
Por onde agora me passeias,
em que cidade, em que rua?
Trago odores nos cabelos
de lugares que nunca vi.
E já não sei contar o tempo.
Um minuto é todo um dia,
ou um dia é o minuto,
em que me encho de ti?

Sónia M.


Nota: A "poeta" Sónia M já nos habituou aos seus poemas sentimentais e mais intimistas. É brilhante neste género poético, o que não é fácil, pois é sempre necessário ultrapassar com inteligência, emoção e génio criativo o risco da banalização e da futilidade, a que este género de literatura poética está permanentemente exposto. Mas Sónia M não se repete, ao nível da expressão poética, nas diferentes abordagens aos temas sentimentais, até porque o seu jogo metafórico se apoia numa linguagem muito fluente, em que o elemento surpresa surge, não pela "transgressão" das palavras, mas pela inversão/distorção da realidade objetiva, como acontece neste trecho: "para atravessares tudo o que sou/e levares de mim todas as vidas". Veja-se também a mesma especificidade metafórica, e aqui, também, a grande amplitude do significado abrangente, em " Por onde agora me passeias,/em que cidade, em que rua?". Linguagem simples, mas de uma grande eficácia poética e muito bem construída no plano literário.
Mas todo este labor na construção das palavras (certas) seria inglório se não trouxesse agarrado, ao mesmo tempo, a grande carga emocional de uma poesia muito sentida e que a "poeta" assume sempre numa posição de sofrimento, de dor e de ausência.
AC

A "poeta" Sónia M colabora neste blogue, publicando-se um poema de sua autoria, às terças-feiras.

4 comentários:

Ailime disse...

Boa tarde, admiro imenso a grande "poeta" Sónia e neste caso apreciei muitíssimo a sua análise ao poema. Brilhante. Ailime

Alexandre de Castro disse...

Ailime: Pela minha parte, o meu obrigado. Quando os poemas têm qualidade, a análise literária fica facilitada.

Sónia M. disse...

Passeando pelos dois comentários, desde a palavra "grande", até à palavra "qualidade", apenas me ocorre a palavra "gratidão".
Bem hajam, Ailime e Alexandre.
Deixo por aqui um beijo e um abraço.

Sónia

mariagomes disse...

Não conhecia! Obrigada.