terça-feira, 14 de maio de 2013

Poema: Pegadas no tempo - por Sónia M


Pegadas no tempo

Na suavidade da manhã que desponta,
procuro o rasto de ti, nas pegadas que deixo nas areias do tempo.
Imagino na minha sombra o teu vulto, 
no murmúrio do vento a tua voz, que me aconchega a alma.
E é quando meus olhos, cansados pela procura se fecham,
que vislumbro as linhas do teu rosto, por mim já sonhadas.
E tudo é real! Tão real como estas areias que piso,
com medo que me engulam e não mais me encontres.

Sónia M

Nota: “Pegadas no tempo” é mais um poema de expressão intimista de Sónia M, talvez extraído do seu universo sentimental, o que explica a singeleza do processo poético e a opção pela  sua centralidade temática numa única ideia – a saudade de um amor ausente. A virtude do poema repousa na capacidade da “poeta” em conseguir transmitir ao leitor um intenso ambiente envolvente de nostalgia e de serenidade, ambiente este que é recorrente em muitos poemas seus. 

A “poeta” Sónia M colabora neste blogue, publicando-se um poema seu, às terças-feiras.

Sem comentários: