quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Poema: Já não posso esconder-me no escuro - por Sónia M

A luz é infinita e o tempo será sempre azul.

Já não posso esconder-me no escuro

Já não posso esconder-me no escuro
como quando era menina.
Envolveu-me a cor que me deste ,
no dia em que nossos poemas se fundiram.
Agora, mesmo de olhos fechados
trago esse azul profundo, agarrado à retina.
E nem as palavras que sussurrava ao vento,
já caem desamparadas no vazio.
Sei que as ouves quando as corriges
e me obrigas a reescrevê-las,
fazendo-as, tanto tuas como minhas.
Foram muitos, tantos...
os nomes que me ensinaste!
Com eles derrubei algumas pedras deste muro
Fascinada pela grandeza que me inventaste.
Não! Já nada será como dantes.
Porque agora a minha noite...não é mais escura.

(Terá sempre o brilho azul da tua luz)

Sónia M
No dia 6 de Julho de 2012

Poema inédito oferecido pela autora ao Alpendre da Lua.

Nota: Peço desculpa à Sónia M. pelo lamentável atraso na publicação deste seu excelente poema, e que ela, hoje, publicou no Sussurros.