terça-feira, 25 de setembro de 2012

A Palavra, a política, a Sociedade e o Carácter. - por Olímpio A. Alegre Pinto


Em qualquer sistema de concepção "Burocrática", hierarquicamente organizado (por inerência conceptual) existem cargos, postos, chefias, comandos, ministérios, presidências, direcções, ...
Os "títulos", ao contrário do que pensam os néscios, importam pouco, ou nada, - o que mporta, são as funções e inerentes responsabilidades! Porém, mais importantes do que as funções são as acções, e, nestas, não é raro a forma ser tão, ou mais importante do que o conteúdo.
A forma, por imaterial, "substantiva-se" pela palavra.
Dir-se-ia, assim, que a palavra é a protagonista primordial! – Mas não! Tal não é verdade! - É engano fundamental, embora comum e muito habitual!
A força da palavra, que pode ser imensa, perde-se completamente, e ela transforma-se em dito ridículo e espúrio, quando trai a Acção, despreza o Exemplo, e tenta esconder a irrresponsabilidade e a incompetência - por se prostituir à hipocrisia estúpida e bacoca, conveniente e interesseira, e nem ter, sequer, a noção do que é o "Carácter".
O.A.A.P.
2012

Sem comentários: