segunda-feira, 2 de julho de 2012

Sinfonia poética a duas mãos... - por Sónia M e Alexandre de Castro


Sinfonia poética a duas mãos...

É tanto o que não se pode adiar, que adiamos todos os dias!!
o homem, que escreve o destino, nada sabe sobre o tempo
Sónia M

… nem sobre o fulgor do instante, que lhe ofusca o olhar,
quando ouve a melodia das manhãs
pelo canto dos pássaros azuis, que lhe trazem a tua voz...
E é aqui que começa a escrever-se o seu destino,
interrogando os astros, colando os estilhaços da memória
à geometria do teu poema, para que ele não acabe
na voragem da ausência
e da distância.
Alexandre de Castro

4 de Junho 2012
E aqui começou a lenda do Pássaro Azul.

Nota: Composição da responsabilidade do Alpendre da Lua, na base de mensagens trocadas por email entre os autores.

31 comentários:

Sónia M. disse...

Foi, foi aqui sim...
que o poeta agarrou em duas frases e as transformou numa autêntica Sinfonia...a atravessar distâncias...
a rasgar os céus, agarrada às asas de um Pássaro Azul!

Ficou muito bonito Alexandre!
Recebe um beijo e um grande sorriso!

Sónia

Maria José Meireles disse...

Lindo, é este comentário da Sónia!...
Parabéns!

olimpio pinto disse...

"É tanto o que não se pode adiar, que adiamos todos os dias." - "È vero! e molto bene trovato! Ma...
" O homem que escreve o destino ..." - Non è vero! - È solamente la Donna que scrive il destino, e domina il Tempo!...

Mille Baci!

Maria José Meireles disse...

Olímpio, nesse caso, é urgente devolver o poder aos homens!... :)

olimpio pinto disse...

É! É lindo o comentário da Sónia!- De versos, faz sempre um Poema!...

O homem pode escrever o destino, mas é a mulher quem o Dita!- E ainda bem!
O Poder não está na força!- O Poder está na Mão... do Coração e da Beleza!

Mille Baci!

Maria José Meireles disse...

Então, sinto-me poderosa :)
Eu e a Sónia!...
Mil beijos

Sónia M. disse...

É.
A mulher dita o destino?
Ou lê em voz alta o que o Homem que o escreve, um dia escreveu?
Fico sempre na dúvida!

No entanto Maria José,
somos realmente poderosas :)

Deixo por aqui um beijo :)

olimpio pinto disse...

Já os agarrei!
(e a lamber me fiquei)

E tiro uma dúvida! - Nada sei de voz alta - importa o Grito e Sussurro!!!
E deixo um desejo - de um tal Poder, só quero perder, mesmo a sofrer!

Millioni de ...

Maria José Meireles disse...

Que linda "guerra de sexos". Agora, o Pássaro da Paz é Azul :)

olimpio pinto disse...

A guerra atrai-me...

A Paz fascina-me...
Do Azul do Céu
Do Verde Natureza...
Da mais intensa Beleza!

Maria José Meireles disse...

A guerra atrai-me...
A Paz fascina-me...
No Azul do Céu
No Verde da Natureza...
Na mais intensa Beleza!
Mora a Poesia.

(Olímpio, não resisti :))

olimpio pinto disse...

Dizia um Transmontano(feito de pau de marmeleiro, mas bem prazenteiro)-Ah! Caraças!Qu'essa coisa da Poesia dá-me cá cuma agonia!Põe-me todo àbanar! c'até se m'estica a espinha e tremelica o coração!Mas... inda cá m'hei-de vingar - vou-lhe botar a mão,muito cá c'os meu cuidados, mas não lhe vou dar perdão! Amando-lhe cum estremeção, ca ponho toda a suar e pla mãezinha a gritar!

olimpio pinto disse...

Resistir é carpir!!
Ceder é vencer!

Parar é morrer.

olimpio pinto disse...

Não resista!

Resistir, pode não parecer
Mas é um fraco perder!

Poesia Entender!!
-É um todo Viver!!

Maria José Meireles disse...

Então,cedo!... :)

Como me acaso...

Brinco
com o acaso
que brinca
comigo.
Ganharei o jogo
ou perderei o vício
de mim?

Maria José Meireles

Alexandre de Castro disse...

Sónia: Chegou o momento de te dizer que esta sinfonia não teria briho nenhum sem a intervenção da tua "mão".
Beijos

olimpio pinto disse...

Faço minhas as tuas palavras, Alexandre! - E Elevo ao cubo!
(desculpa "lá", mas, é assim!)

olimpio pinto disse...

Não há dilema! - só se ganha o jogo, quando se mantém o Vício!

(Maria José: não resisti!)

Viva a Poesia!

Maria José Meireles disse...

Viva!... :)

Sónia M. disse...

Só resistindo ao que não quero
mantenho o vício de mim.
Resistir não é fraco perder!!!!
Resistir é vitória!
Quando se resiste
ao que não se quer!

Alexandre não me chames outra vez,
isto onde há guerra...eu fujo!
Beijos

Maria José Meireles disse...

Sónia, resistir ao que não se quer é um paradoxo com pano para mangas...
Os poderosos, nunca fogem à guerra. A guerra é que lhes foge :)

Maria José Meireles disse...

"É um fenómeno curioso: o país ergue-se indignado, moureja o dia inteiro indignado, come, bebe e diverte-se indignado, mas não passa disto. Falta-lhe o romantismo cívico da agressão. Somos, socialmente, uma colectividade pacífica de revoltados."
Miguel Torga (1961)

olimpio pinto disse...

Só se resiste ao que se quer
Embora se "julgue" que não se quer.
Não falo aqui de imposição!
Apenas de boa tentação.

O "William" não tinha razão!
Não é "ser ou não ser" -Não!
É "querer ou não querer" -Pois então!

(Maria José: o Transmontano tem toda a razão!)

Sónia M. disse...

Maria José:
As guerras de mim não fogem, vêm todas ter comigo (não sei como é que me arranjo!)
No entanto, nunca vi ninguém ganhar nenhuma, sem opor resistência!
Quanto ao julgar...também tem pano para mangas!
Cada um julga o que quer!

olimpio pinto disse...

Lembra-me um primo alentejano
Prazenteiro, mui bom rapaz!
Que se queixa todo ano
C'as formigas não lhe dão paz!
Nem se lembra, o descuidado!
Que no bolso ele sempre traz
Frasco de mel mui mal tapado!

Na guerra, resistência é inteligência! Mas... que pode fazer a bela flor, para seu pólen defender,se abelha(sem dolor!)esvoaçar com persistência?

("Vale mais experimentá-lo que julgá-lo, mas julgue-o quem não pode experimentá-lo.")

Maria José Meireles disse...

Cedo!... :)

olimpio pinto disse...

Credo!!?? :)

Maria José Meireles disse...

:)

Maria José Meireles disse...

Música...

Primeiro
era apenas
um instrumento
depois outro
e mais outro
a música
tornou-se
muito intensa
e o silêncio
teve lugar.
Não temas
eu estou aqui.

Maria José Meireles

olimpio pinto disse...

A música embala
O silêncio cala.

A música é ausência de silêncio
Mas o silêncio não é ausente de Música.

O.A.A.P.

olimpio pinto disse...

A música embala
O silêncio cala.

A música é ausência de silêncio
Mas o silêncio não é ausente de Música.

O.A.A.P.