segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Anotação do Tempo: Dissertação sobre os pontos de fuga…


Dissertação sobre os pontos de fuga…

Não sei se estás mais longe ou mais perto
se te aproximas ou recuas
não sei medir a distância dos afectos
as portas fecharam-se
com as chaves que tu guardaste
e eu, impotente, sem as poder abrir
nas noites de insónia
quebrado pelos solavancos dos sonhos
onde apareces a sorrir
e a jogar no meu tabuleiro de xadrez
ouço as sinfonias dos teus desafios
e afundo-me no passado
atormentado pelo medo
e pelos estilhaços dos meus remorsos.

Alexandre de Castro

2 comentários:

Sónia M. disse...

Este seu poema Alexandre, tocou-me mais do que imagina!
Fez-me lembrar, que se não consigo sair pela porta, posso sempre saltar pela janela...esperando que ela não seja a do ultimo andar do prédio...

Alexandre de Castro disse...

Sónia:
A poesia, mais do que o seu estilo, vale pelas emoções que desencadeia, embora o estilo, quando criativo e original, as possa ampliar. É por isso que é necessário encontrar novas formas para dizer, na maior partev das vezes, as mesmas coisas.