domingo, 18 de setembro de 2011

Anotação do Tempo: Dissertação sobre o poema “Puma Bartolomeu Júpiter” *


Dissertação sobre o poema “Puma Bartolomeu Júpiter” *

O poema transcende as leis da Física, despojando-as da sua
rigorosa exactidão.
O átomo de carbono tem quatro valências.
Uma para o amor, que se dissolve no sexo, como muito bem
demonstrou Puma Bartolomeu Júpiter, perante uma assembleia,
interessada em saber coisas inúteis.
Outra é a do sexo, que se dissolve no corpo, postulado que
carece de demonstração.
A terceira é a do corpo, que se dissolve na morte, a única
que, pela sua volúvel imprevisibilidade, escapa à
compreensão dos cientistas, assim como não foi possível
encontrar a fórmula quântica para calcular a dimensão do prazer,
ficando esta grandeza incluída nas coisas incomensuráveis,
o que a remete para uma indecifrável e infinita dimensão cósmica.
A última, a quarta, é o próprio poema, que na sua intangibilidade,
se dissolve a si próprio, para que a Física não entre em transgressão
com a eternidade da matéria.
Alexandre de Castro
Lisboa, Julho de 2011
*Poema de André Domingues
http://ponteeuropa.blogspot.com/2011/09/momento-de-poesia.html