quarta-feira, 31 de março de 2010

Submarinos: As notícias que irão abalar o futuro!

1ª Notícia:
José Manuel Barroso já telefonou ao seu amigo José Sócrates, a perguntar-lhe como é que se organizava uma campanha mediática contra as cabalas e contra os ataques ao carácter. No final da conversa, Barroso despediu-se com um "porreiro, pá".

2ª Notícia:
José Manuel Barroso afirmou pretender que seja o Procurador Geral da República a investigar o caso dos submarinos e o presidente do Supremo Tribunal da Justiça a julgá-lo.

3ª Notícia:
O Bloco Central vai ser reactivado e recuperado. O PSD deixa de atacar José Sócrates, no caso da tentativa de compra da TVI pela PT e o PS defenderá José Barroso no caso dos submarinos.

4ª Notícia:
Manuela Moura Guedes vai regressar à TVI para conduzir a investigação jornalística sobre o caso da corrupção na aquisição dos submarinos.

5ª Notícia:
Santana Lopes, em alternativa à compra dos submarinos, propõe a construção de túneis através dos oceanos.

6ª Notícia:
Rui Pedro Soares, o ex-administrador da PT, por parte do Estado, e arguido no processo Face Oculta, declarou que, apesar de não ter participado, com muita pena sua, no negócio da compra dos submarinos, continuará a ser um fervoroso adepto do Futebol Clube do Porto, tendo também acrescentado que o "chefe" teria gostado mais de possuir um submarino do que a TVI.

7ª Notícia:
O presidente da PT, Henrique Granadeiro, afirmou que, com o negócio dos submarinos, não se sentiu encornado.

Submarinos: O Freeport do PSD e do CDS!...

Revista alemã revela dados do processo aberto
pelo Ministério Público de Munique, que terá
identificado "mais de uma dúzia de contratos
suspeitos" para influenciar a decisão final através
de subornos.
Diário de Notícias
***
Há muito tempo que sustento a tese da existência de corrupção ao mais alto nível político, que a polícia e a justiça portuguesas não conseguem, por incompetência ou manifesta conivência, descobrir e punir. Por diversas vezes, já procedi aqui à analogia com a situação escabrosa vivida na Itália nos anos noventa e que fragilizou a sua democracia, como se pode verificar actualmente, com a sociedade a rejeitar os políticos e a entregar-se nas mãos de um aventureiro populista e desonesto, suspeito de ter relações com a Mafia. E, em Portugal, há muitos candidatos a a quererem imitar o 'Il Cavaliere' .

Banco de Portugal projecta crescimento mais baixo este ano e no próximo




O Banco de Portugal reviu em forte baixa as
suas projecções para o crescimento da economia
portuguesa este ano e em 2011, que desceram
de respectivamente 0,7 por cento para 0,4 por
cento e de 1,4 para 0,8 por cento.
PÚBLICO
***
O Banco de Portugal vem mais uma vez desmentir as previsões do governo em relação à evolução da economia em 2010 e 2011, confirmando assim o que aqui foi dito na semana passada. Na realidade, não é realista prever que a economia portuguesa possa crescer ao ritmo considerado pelo governo no seu Programa de Estabilidade e Crescimento, uma vez que o consumo interno e o investimento, dois dos componentes da formação do PIB, irão contrair-se. Na nossa análise, apenas se divergiu, em relação às projecções do Banco de Portugal, no que concerne às exportações, que aquela instituição considera que irão crescer. Não se sabe como, já que as economias dos maiores parceiros comerciais do país (Espanha, França e Alemanha) não apresentam sinais de aumentarem a sua procura externa. E isto para não falar da ameaça de uma nova crise na União Europeia, a ocorrer, segundo muitos economistas, ainda este ano. Procurar equilibrar as finanças públicas num cenário sombrio, como este, vai ser uma autêntica tragédia, que poderá conduzir à ruptura social.

Uma certa América que queria chegar ao céu (anos 30)...(2)

Clicar na imagem para a ampliar






Fotografias enviadas pelo João Fráguas, seguidor deste blogue

Grande Golo!...

video

Gostava de ver esta mocinha a jogar a bola num campo pelado!...

terça-feira, 30 de março de 2010

Quadras de Santo António...


Ó meu rico Santo António
Meu santinho Milagreiro
Vê se levas o Zé Sócrates
P'ra junto do Sá Carneiro
.
Se puderes faz um esforço
Porque o caminho é penoso
Aproveita a viagem
E leva o Durão Barroso
.
Para que tudo corra bem
E porque a viagem entristece
Faz uma limpeza geral
E leva também o PS
.
Porque a viagem é cara
E é preciso cultivar as hortas
Para rentabilizar o percurso
Não deixes cá o Paulo Portas
.
Para ficar tudo limpo
E purificar bem os ares
Arranja um cantinho
E leva o Mário Soares
.
Como estamos em democracia
Embora seja um enfeite
Aproveita o transporte
E leva a Ferreira Leite
.
Se puderes faz esse jeito
Em Maio, mês da maçã
A temperatura está a preceito
Não te esqueças do Louçã
.
Todos eles são matreiros
E vivem à base de golpes
Faz lá mais um favorzinho
E leva o Santana Lopes
.
Isto chegou a tal ponto
E vão as coisas tão mal
Que só varrendo esta gente
Se salvará Portugal

Não vá o diabo tecê-las!...

Não seria melhor tirar o menino dos braços do Santo António?...

Reunião entre Passos Coelho e Ferreira Leite termina sem declarações


A reunião de hoje entre o presidente eleito do PSD,
Pedro Passos Coelho, e a ex-dirigente do partido,
Manuela Ferreira Leite, na sede nacional
social-democrata demorou cerca de meia hora e
terminou sem declarações.
PÚBLICO
***
Passos Coelho esmagou os seus adversários nas eleições para a presidência do PSD, porque foi ele o único candidato a fazer o discurso de ruptura com o baronato remanescente da era cavaquista, cujos membros sempre pretenderam influenciar, do lado de fora, as orientações partidárias emanadas internamente pelos diversos e transitórios presidentes de turno. Por outro lado, Passos Coelho foi o candidato mais radical em relação ao governo de José Sócrates, embora o discurso da consagração tivesse assumido uma tonalidade mais apaziguadora e menos contundente.
Os eleitores do PSD, ao escolherem Passos Coelho, deixaram bem claro que já não se revêem naquela elite de políticos do cavaquismo, mandando, por outro lado, um recado a Cavaco Silva para que ele se dedique por inteiro ao desempenho das suas funções de Presidente da República e abandone a persistente ideia de continuar a ser o presidente do PSD, através de interpostas pessoas. Abre-se, por certo, uma nova era para o partido mais ecléctico da sociedade portuguesa, onde se reúnem, como num albergue espanhol, os velhos saudosistas do marcelismo e do salazarismo, os actuais caciques dos aparelhos autárquicos, os liberais, os sociais democratas e os populistas, numa profusão de tendências, que só um líder com uma personalidade muito forte conseguirá federar.
Ao nível ideológico nenhuma mudança se vislumbra no horizonte. O PSD continuará a ser um partido conservador de direita, a propor soluções liberalizantes, com a concomitante diminuição das funções sociais do Estado, e a defender os interesses do grande patronato e dos agentes do capital financeiro.

Uma certa América que queria chegar ao céu (anos 30)...(1)

Clicar na imagem para a ampliar







Fotografias enviadas pelo João Fráguas, seguidor deste blogue

segunda-feira, 29 de março de 2010

Défices de 2008 e 2009 acima dos calculados pelo Governo


O Instituto Nacional de Estatística (INE) reviu
a sua estimativa para o défice orçamental para
9,4% em 2009, na primeira notificação do ano
no âmbito do procedimento dos défices excessivos
para o Eurostat.
As previsões incluídas no reporte do INE apontam
para um défice de 9,4% - contra os 9,3% calculados
pelo Governo - e uma dívida pública bruta das
administrações públicas de 76,8%.
Diário de Notícias
***
Teixeira dos Santos, desde que está no governo, ainda não acertou em nenhuma estimativa. Engana-se sempre, e sempre a favor do governo! Dizem até que já desistiu de jogar no euromilhões.

"Acredito que Cristo era gay"

Deus criou pessoas e para elas não definiu
orientação sexual. Portanto, todas devem
poder casar-se, se assim o desejarem, diz
a teóloga feminista Myra Poole que, porém,
vai mais longe: "Acredito que Cristo era gay."
Diário de Notícias
***
E Myra Poole é muito bem capaz de ter razão. Se Deus é assexuado, como dizem, o seu filho, por hereditariedade divina, deveria ter-lhe herdado essa natureza, o que, naqueles tempos seria considerado como o que hoje entendemos por gay. E se a Cúria Romana aceitasse esta tese, poderia muito bem utilizá-la para defender a pedofilia, que grassa no seu seio. Sempre seria mais sensato e mais higiénico do que andar a afirmar de que se trata de uma cabala montada pela comunicação social, contra o Papa.

Documentario Pedofilia de Padres-Parte 2

Padre Pedófilo - Alagoas - Parte 1

domingo, 28 de março de 2010

Padres e pedofilia: Armadilhas

***

Polícia flagra padre em seu quarto com menina de 13 anos na cama

***
Já se percebeu que o fenómeno da pedofilia na ICAR não é um fenómeno residual. A prática sempre existiu em todos os tempos e em todos os lugares, onde há uma igreja ou um seminário. É planetária e os casos conhecidos não são uma excepção.

Um Poema ao Acaso: A que morreu às portas de Madrid-Reinaldo Ferreira - (vídeo: 1937 - Discurso de Pasionaria)


***
A que morreu às portas de Madrid

A que morreu às portas de Madrid,
Com uma praga na boca
E a espingarda na mão,
Teve a sorte que quis,
Teve o fim que escolheu.
Nunca, passiva e aterrada, ela rezou.
E antes de flor, foi, como tantas, pomo.
Ninguém a virgindade lhe roubou
Depois de um saque – antes a deu
A quem lha desejou,
Na lama de um reduto,
Sem nausea, mas sem cio,
Sob a manta comum,
A pretexto do frio.
Não quis na rectaguarda aligeirar,
Entre champagne, aos generais senis,
As horas de lazer.
Não quis, activa e boa, tricotar
Agasalhos pueris,
No sossego de um lar.
Não sonhou minorar,
Num heroísmo branco,
De bicho de hospital,
A aflição dos aflitos.

Uma noite, às portas de Madrid,
Com uma praga na boca
E a espingarda na mão,
À hora tal, atacou e morreu.

Teve a sorte que quis.
Teve o fim que escolheu.

Reinaldo Ferreira
(1922-1959)

sábado, 27 de março de 2010

Pasión Rodrigo Leão, dançado por Homer & Mariana

Problemas causados pelo desmatamento...

Fotografia enviada pelo Diamantino Silva

PEC não chega para reduzir défice, diz membro do BCE


Portugal tem de tomar medidas adicionais às
que anunciou no Programa de Estabilidade e
Crescimento (PEC) para este ser "realmente
credível", disse Nout Wellink, um membro do
Conselho de Governadores do Banco Central
Europeu.
Diário de Notícias
***
Eu não vos dizia que existe uma agenda secreta, que prevê medidas ainda mais gravosas?! As más notícias transmitem-se aos "bochechos", para utilizar o erudito vocábulo do presidente do Supremo Tribunal de Justiça. Desta forma consegue-se dosear o descontentamento popular e evitar tumultos. Até um dia, claro!

Caminho de Santiago (6)

Clicar na imagem para a ampliar






Fotografias enviadas pelo João Fráguas, seguidor deste blogue

sexta-feira, 26 de março de 2010

Santa Sé diz que casos de pedofilia querem atingir papa


O Vaticano denunciou nesta quinta-feira o que
considera uma "evidente e ignóbil tentativa de
atingir a qualquer custo" o papa Bento XVI com
as novas denúncias de atos de pedofilia cometidos
por padres e que haviam sido abafados, segundo
as vítimas, pelo atual pontífice.
Agencia EFE
***
Ratzinger já aprendeu a manha com José Sócrates. Com tantos ataques pessoais, ambos vão ficar sem carácter.

Papa terá encoberto caso de abusos sexuais nos EUA

Bento XVI poderá, nos anos 90, ter encoberto
caso de pedofilia numa escola para crianças surdas.
Vaticano explicou que, na altura, o padre envolvido
no escândalo não foi castigado porque "já tinham
passado 20 anos e o religioso estava muito doente".
Diário de Notícias
***
É verdadeiramente comovente e enternecedor ouvir as declarações pias de Bento XVI, a manifestar a sua excelsa misericórdia em relação ao estado de saúde e à provecta idade de um religioso, que, por acaso, era pedófilo, não o denunciando nem lhe aplicando a sanção do Direito Canónico e não dando oportunidade às vítimas de verem o crime reparado. Também se fica a saber que o tempo lava os pecados, pois Deus, de tão velhinho que está, já começou a perder a memória. Já não consegue lembrar-se do que aconteceu há vinte anos.

Anotação do Tempo: Viagem


Viagem

O anjo mecânico, indomável
sobre os carris de ferro,
rasga a planície.
A paisagem,
devorada pelo sol
povoada de aves a riscar o céu
e de árvores a esbracejar ao vento,
reacende-me a fome
da terra lavrada do teu corpo
e consome-me uma sede insaciável
de beber a água destes rios,
pela tua boca.

Alexandre de Castro

Máxima do reformado

A minha mulher perguntou-me com sarcasmo:
"Que pensas fazer hoje?"
"Nada".
Diz-me ela:
"Isso foi o que fizeste ontem!"
"Sim, mas ainda não acabei."

quinta-feira, 25 de março de 2010

Ser ou não ser, eis a questão...


As escutas onde intervém o primeiro-ministro,
José Sócrates, nunca irão chegar ao Parlamento,
uma vez que, legalmente, são inexistentes.
... as escutas onde intervém Sócrates já receberam
ordem de destruição por parte do presidente do
Supremo Tribunal de Justiça, sendo impossível a
qualquer entidade aceder às mesmas.
Diário de Notícias
***
A lei penal portuguesa consegue, por processos ínvios, provar a inexistência daquilo que, na realidade, existe. É uma proeza assinalável, digna das brilhantes cabeças que a conceberam e a aprovaram. A coisa tem existência material, mas não existe. Ou melhor, a coisa só deve existir quando convém.
Sem a audição das escutas em que intervém o primeiro-ministro, será muito difícil à comissão de inquérito parlamentar provar o que quer que seja. Espero que alguém tenha tido o bom senso de as ter copiado, antes delas terem chegado ao Procurador Geral da República e ao presidente do Supremo Tribunal de Justiça, e as faça chegar à imprensa, a única entidade apostada verdadeiramente em desmontar a grande mentira da política e da justiça em Portugal.

Notas do meu rodapé: Afinal, a crise só agora vai começar!...

O Programa de Crescimento e de Estabilidade foi concebido no pressuposto de que a economia portuguesa iria crescer lentamente, com base no aumento gradual das exportações. A previsão é irrealista, por dois motivos. Em primeiro lugar, porque todas as economias, com o mesmo perfil do da economia portuguesa, procuram obstinadamente, neste ambiente de crise internacional, os mesmos mercados para as suas exportações, aumentando assim a concorrência. Em segundo lugar, porque o consumo interno, outro dos componentes para a formação do PIB, vai diminuir, em virtude da aplicação das pesadas medidas restritivas anunciadas, com a agravante dessa diminuição do consumo interno poder vir a eliminar eventuais ganhos que ainda pudessem ser obtidos através de um pequeno aumento do valor das exportações. Num quadro económico depressivo como este, caracterizado por muitas incertezas, também não se espera que o investimento privado, outro dos componentes que, conjuntamente com o investimento público, contribui para a formação do PIB, venha a acolher grandes entusiasmos entre os agentes económicos.
A concretizar-se esta conjugação de factores, Portugal arrisca-se a chegar a 2013 sem conseguir aumentar substancialmente as receitas fiscais, único objectivo credível, que poderia ser a base do arranque para o crescimento da economia.
Resta explorar, neste raciocínio esquemático, a janela de oportunidade que o governo de José Sócrates tem perversamente escondida na sua agenda, e que se apoia na desvalorização, por meios indirectos, do valor dos salários reais, recuperando a ideia de promover uma maior competitividade dos produtos portugueses nos mercado externos, através da diminuição dos custos do trabalho, medida esta que reflecte a incapacidade e a incompetência dos dirigentes políticos e também dos empresários, assim como a total inutilidade das políticas económicas seguidas nos últimos anos. Portugal está a pagar o desleixo e a falta de rigor da gestão política e económica dos sucessivos governos do PS e do PSD, a que se soma a preocupante questão da impunidade do fenómeno da corrupção, que, se pudesse ser contabilizado, se traduziria negativamente no PIB, em virtude dos elevados valores financeiros envolvidos.


Pedro Passos Coelho reiterou ontem, na Mealhada,
que o seu partido deveria votar contra o PEC, por
não incluir medidas estruturais que o País precisa.
... O candidato à presidência do PSD disse que "o
PEC cumpre o objectivo de reduzir o défice público
e o défice do orçamento até 3% em 2013 e por isso
satisfaz a Bruxelas e satisfará em alguma medida
às agências de rating, mas não satisfaz a Portugal
porque Portugal não precisa só disso, precisa de
mais do que isso".
Diário de Notícias
***
Não sei se Passos Coelho, se um dia chegar a ser primeiro-ministro, manterá a mesma convicção e demonstrará a suficiente capacidade para introduzir as tais medidas estruturais, que agora reclama, mas que não revela. Vinda de um dirigente do PSD, as tais medidas devem resumir-se à alienação aos privados das funções do Estado no domínio da saúde e da educação, o que ainda iria agravar mais a situação do país.

Notas do meu rodapé: O PEC do nosso descontentamento...

Estes dois dirigentes passaram o ano de 2009 a afirmar insistentemente que
a crise já tinha batido no fundo e que a despesa orçamental estava controlada
.
Fitch corta rating português e condiciona debate do PEC
.
A mensagem dos mercados foi transmitida, desta
vez, pela Fitch, uma das três principais agências
de notação financeira internacionais. Cumprindo
uma ameaça que já vinha do ano passado, cortou
o rating atribuído a Portugal, passando-o de AA
para AA-. Ao mesmo tempo, manteve a ameaça
de que novos cortes podem vir a surgir no futuro,
não deixando de salientar que, se houver sinais
de desentendimento político em torno do objectivo
de consolidação orçamental, esta ameaça será
rapidamente concretizada. No comunicado emitido
ontem, a Fitch diz que a principal razão para
a deterioração da notação de risco está na perspectiva
de crescimento muito fraco da economia. E assim,
apesar de o PEC ser considerado "credível",
um cenário a prazo de crescimento persistentemente
lento pode provocar, num futuro próximo
- especialmente em 2012 e 2013 - renovadas dificuldades
às finanças públicas, já que as receitas poderão não crescer
à velocidade desejada.
PÚBLICO
***
Portugal arrisca-se a perder a batalha da integração europeia, porque já perdeu a batalha da globalização. As políticas erráticas do PSD e do PS ao longo dos últimos trinta anos conduziram a economia portuguesa a um beco sem saída. Os dois partidos, em alternância, governaram sempre ao sabor dos interesses instalados, praticando um política de favorecimento das grandes clientelas e não estimulando os factores da competitividade. Os resultados estão à vista.
Percebeu-se, logo desde o início, que este Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC), elaborado exclusivamente para agradar à agências de rating, as guardas avançadas do capitalismo internacional, e que, como se vê, têm a enorme capacidade de influenciar as políticas dos governos, principalmente as dos países mais pequenos, continha tudo sobre estabilidade e não tinha nada sobre crescimento, reconhecendo assim, implicitamente, que a economia portuguesa, tal como afirma a Fitch, não tem capacidade de crescer a curto e a médio prazo, ao ponto de não conseguir gerar as receitas fiscais para reduzir o défice. E este é um problema estrutural, que não se resolve imediatamente no espaço temporal de uma geração. O paradigma de apostar numa política de desenvolvimento, sem aprofundar a qualidade do ensino e a qualificação profissional (as nossas principais debilidades), chegou a fim, e está provado que não é com a cultura política dominante naqueles dois partidos, que se poderá contar no futuro. O povo portugês vai perceber nos próximos tempos, e de uma forma muito dura, que vai de ter de encontrar outro caminho.

República versus Monarquia...

video

Enviado pelo João Fráguas, seguidor deste blogue

Era este o argumento que me faltava para começar a apoiar D. Duarte Nuno!

quarta-feira, 24 de março de 2010

Notas do meu rodapé: A revolta instala-se no Partido Socialista


PS: deputados contra isenção fiscal dos
lucros bolsistas

Oito deputados socialistas, quatro dos quais
vice-presidentes, entregaram hoje uma declaração
de voto contestando a argumentação usada pelo
Governo para adiar a tributação das mais valias
bolsistas e consequente não inclusão da medida
no Orçamento deste ano.
A declaração de voto foi entregue na mesa da
Assembleia da República pelo deputado socialista
João Galamba e é subscrita por quatro elementos
da direcção da bancada do PS: Maria de Belém,
Sérgio Sousa Pinto, Ana Catarina Mendes e Duarte
Cordeiro (líder da JS).
O texto de crítica em relação ao executivo é ainda
assinado por Osvaldo Castro (presidente da Comissão
de Assuntos Constitucionais), pelo ex-ministro da
Justiça Vera Jardim e pelo deputado Miguel Laranjeiro.
Diário de Notícias
***
A unanimidade no Partido Socialista, em relação ao Programa de Estabilidade e Crescimento, que o governo quer ver aprovado, é um mito. A divisão entre os deputados do PS foi claramente assumida. Oito desses deputados, quatro deles vice-presidentes da bancada parlamentar, não se revêem numa política que não é equitativa na repartição dos sacrifícios pedidos aos cidadãos, no esforço colectivo para regularizar o défice orçamental e a dívida pública. Escandalosamente, as mais-valias bolsistas ficaram de fora, continuando os seus titulares a beneficiar da isenção de qualquer imposto, situação que não se verifica na maioria dos países da União Europeia.
Fica a assim demonstrada a natureza de classe do governo de José Sócrates e dos seus acólitos no aparelho partidário, que já não podem esconder a sua submissão aos interesses do capital financeiro, submissão essa também já demonstrada nas isenções fiscais concedidas aos bancos em sede do IRC, cuja taxa efectiva, que é aplicada aos seus fabulosos lucros, é muito inferior à que é aplicada às empresas do sector produtivo e do sector dos serviços.
Se as medidas deste PEC forem implementadas, o empobrecimento da maioria da população irá ser muito afectado e sem qualquer horizonte de recuperação, uma vez que a economia vai continuar estagnada, como iremos demonstrar num próximo artigo.

terça-feira, 23 de março de 2010

Paris- Visite virtuelle interactive des plus beaux monuments de Paris


Fabulosa esta vista a 360º!... se pedirem "ecrã inteiro" então nem se fala! Isso e muito mais pode ser regulado na barra de menu, em baixo, à esquerda. Explorem o menu para aproximar... à direita aparecem os locais que poderemos visitar em pormenor, aproximando. Para sair, basta clicar na tecla Esc do vosso teclado.


Enviado pelo João Fráguas, seguidor deste blogue

Fundação que gere Magalhães foi proposta pelo Governo, ao contrário do que disse Mário Lino


O presidente executivo da Vodafone disse hoje que
a criação da Fundação para as Comunicações
Móveis (FCM), que gere os programas e.escola
e e.escolinha, foi proposta pelo Governo, o contrário
do que tinha afirmado Mário Lino.
António Coimbra, que está ser ouvido na comissão
de inquérito à FCM, afirmou que a ideia de criar
a fundação surge numa carta assinada pela chefe de
gabinete do secretário de Estado das Obras Públicas
e Comunicações, Paulo Campos, que a operadora
recebeu a 10 de Dezembro de 2007.
PÚBLICO
***
A mentira, insistentemente reiterada, parece ser a imagem de marca dos governos de José Sócrates. Mesmo perante as sucessivas contradições, que a denunciam, os governantes, para esconderem o lado mais obscuro das suas decisões e dos seus comportamentos, não recuam no seu propósito de ocultar a evidente verdade dos factos. Sempre quero ver como é que o ex-ministro Mário Lino vai lidar com a sua própria mentira, já que, neste caso, existem provas materiais - a carta a que se refere o presidente executivo da Vodafone-, que ele não poderá vir a dizer que ignorava.
Também já não restam dúvidas que a decisão de constituir uma fundação para gerir o negócio dos computadores Magalhães teve como objectivo tentar ocultar do escrutínio do Tribunal de Contas a gestão dos milhões de euros, que as operadoras entregaram para o projecto.

segunda-feira, 22 de março de 2010