quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Anotação do Tempo: Dissertação sobre o Flamenco...



Dissertação sobre o Flamenco…

Queimo os olhos no fogo purificador
da dança que te envolve,
os poros iluminados da tua pele
filtram o veludo da música
que desliza pelo teu corpo ágil,
com movimentos geométricos de linhas firmes,
a repercutirem-se nas ondulações suaves
da curva do teu ventre.
Acerto-me pelos teus passos
e pelas transcendências metálicas
das cordas da guitarra,
no sapateado frenético sobre as tábuas,
e é aí que exalas todos os odores
que eu guardo na memória dos olfactos,
para que nas noites quentes das tuas ausências
eu não os esqueça.
Todas as danças trazem a ancestralidade dos desejos,
preâmbulos lúdicos que rebentam os diques
de todas as rebeldias heterodoxas dos corpos tensos
e o fogo volta a acender-se nos teus olhos,
no êxtase de todos os movimentos inventados,
no momento da  apoteose da tua dança.

Alexandre de Castro

Lisboa, Novembro de 2010

2 comentários:

Humberto Baião disse...

Muito boa gente não o crê..... Contudo não ultapassámos ainda o estádio de pré-históricos civilizados..... Muito bom seu texto meu amigo ! Parabéns e um abraço !!!

Alexandre de Castro disse...

Obrigado, Humberto.
Um abraço