quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Anotação do Tempo: Fujamos destas sombras...



Fujamos destas sombras…

Fujamos destas sombras
escondidas
que não deixam ver o teu olhar
ver-nos-emos amanhã
na claridade do dia
agora só quero mergulhar
no teu sono
e preencher a noite com os teus gritos
até o corpo doer…

Fujamos desta teia de medos
de ser esta a última vez
esgotemos este tempo
até ao âmago do limite
para que se agarre à memória
e os dias não o apaguem…

Quebremos, depois,
o espelho desta cómoda envernizada
para levar os estilhaços das imagens
dos nossos rostos,
e fujamos daqui, sem remorsos…

Alexandre de Castro

Sem comentários: