domingo, 11 de julho de 2010

Anotação do Tempo: Metáfora do meu sonho



Metáfora do meu sonho

Ainda não tenho a tua voz
gravada na memória
adivinho-te o corpo
o sorriso e o rosto
na metáfora do meu sonho
nada sei de ti, do teu encanto,
nem do teu querer
apenas sei do teu desassossego
e da tua atalaia vigilante
d' onde olhas o mundo revolto
pelo desvario dos homens
sei do teu sorriso cristalino
e desalinhado
a quebrar os silêncios e os medos
sei de ti tão pouco ou quase nada
que alarmo-me e espanto-me
da razão por que te escrevo
da razão por que te espero
da razão por que te anseio tanto!...
Sem te conhecer!...

Alexandre de Castro

Tradução em castelhano por María Alonso Seisdedos: ver aqui